Wednesday, August 26, 2015

No velho Oeste americano…

Zig e Zag falam do velho Oeste americano (cartoon):

















(1. «Deus tem uma tesoura mágica que pode cortar a corda da forca» - «in» Madeira de Buxo (Madera de Boj (1999)), de Camilo José Cela; 2. A propósito: «Camilo José Cela» - Wikipedia; 3. Ainda a propósito: «Velho Oeste» e «Cowboy» - Wikipedia; 4. E uma «Conversa de morcegos» com uma tesoura (neste «blog»))

Saturday, August 22, 2015

Cesteiro que faz um cesto faz um cento

Ouvidos peludos
Orelhas de lince
Sorriso nas ventas
Mamas de velha
Tomates de cão
Cauda em bifurcação
Umbigo de fora
Coisa em pistola
Ombros encolhidos
A dizer não:
Não fui eu que roubei os enchidos
Dessa estou inocente
E cesteiro que faz um cesto faz um cento
Está visto que foi o Vicente

























Venho de dar à volta à Terra
De me divertir
E passei e nem vi o reco ir à faca
Népia de salpicão ou toucinho
Ou papas de sarrabulho
Por favor não me metam nesse barulho!
Estou inocente
Foi o Vicente


(1. Em cima: O Diabo num dos seus passeios, "a cavalo" de lixo espacial, podendo-se ver que é um "tipo" de grande beleza; 2. «Então, perguntou Deus a Satanás: Donde vens? Satanás respondeu: De rodear a terra e passear por ela» - O «Livro de Jó», Antigo Testamento (1:7); 3. Mais coisas sobre o «Diabo» neste «blog»)

Wednesday, August 19, 2015

Rosa Bugairido


















(1. «Rosa Bugairido suicidou-se há coisa de três anos atirando-se ao mar da falésia do cabo Vilán, um olho e parte dos miolos ficaram colados aos percebes da maré baixa, o cadáver levou-o o mar para a grande praia de Traba, onde esteve encalhado há já alguns anos um raro cachalote com cornos, ao norte da ponta de Laxe.» - «in» Madeira de Buxo (Madera de Boj (1999)), de Camilo José Cela; 2. A propósito: «Camilo José Cela» e, já agora, «Pollicipes pollicipes» - Wikipedia; 3. Composição, em cima, a partir de imagens disponíveis na Web: no caso, o inspector Clouseau.)

Saturday, August 08, 2015

Apocalipse - III















«Post» anterior: «Apocalipse - II»


(1. «Apocalipse» - Wikipedia; 2. Desenho a caneta e aguarela (2013), composto agora digitalmente)

Apocalipse - II
















«Post» anterior: «Apocalipse - I»; «Post» seguinte: «Apocalipse - III»


(1. «Apocalipse» - Wikipedia; 2. Desenho a caneta (2013), composto agora digitalmente)

Apocalipse - I















«Post» seguinte: «Apocalipse - II»


(1. «Apocalipse» - Wikipedia; 2. Desenho a caneta e aguarela (2013), composto agora digitalmente)

Friday, August 07, 2015

Caçar gaivotas com anzol

Zig e Zag falam do que acontece por andar a caçar gaivotas com anzol (cartoon):

















(1. a) «Cornecho, o sacristão Celso Tembura, tem um escape no sentimento, já se disse que tem a consciência de tatebitate, e caça gaivotas com anzol (...)»; b) «(...) os infiéis (...) cospem para o ar para que as gaivotas se desorientem e se desfaçam contra as rochas (...)» - «in» Madeira de Buxo (Madera de Boj (1999)), de Camilo José Cela; 2. «Camilo José Cela» - Wikipedia)

Saturday, July 11, 2015

Rimas do Tono cozinheiro

O Tono cozinheiro
Das batatas cheias de óleo
Ganhava muito dinheiro
Tinha um fogão a petróleo

Se os ovos caíam ao chão
Para o lixo é que não iam
Eram comidos com pão
E que bem que sabiam!

Namorava com uma prima
Discutia futebol
Não sabia uma rima
E nada d’Alves Redol

Se a música era paixão
Cassetes não lhe faltavam
Tinha prá’i um milhão
Som que os amigos gostavam

Certo dia foi-se embora
P’ra se casar lá na terra
Veio um cozinheiro de fora
Dos lados de Salvaterra…

E Tono também se chamava.

De modo que a história começa assim:

O Tono cozinheiro
Das batatas cheias de óleo
Ganhava muito dinheiro
Tinha um fogão a petróleo

Se os ovos caíam ao chão…


(1. A propósito: «Alves Redol» - Wikipedia; 2. Outras «lengalengas» neste «blog»))