Thursday, January 14, 2016

O fantasma de Rosa Bugairido

«(…) Rosa Bugairido suicidou-se atirando-se ao mar, quando ia no ar nem lhe deu tempo para pensar em nada porque os ouvidos começaram-lhe a zumbir, isto não é mais do que uma suposição, todos nós gostaríamos de conhecer o mistério da morte, o que se passa é que Deus é muito calado e não costuma dizer as coisas aos homens, provavelmente é isto que é o livre arbítrio e todos nós nos queimamos com a dúvida como um prego a arder (…), o meu tio Knut Skien caça o rorqual com artes antigas e faz experiências de física recreativa queimando fósforos debaixo de água.» - Madeira de Buxo (Madera de Boj, 1999), de Camilo José Cela.

É o fantasma de Rosa Bugairido, que agora aparece vestida de noiva.

























Rosa Bugairido suicidou-se, já se sabe, e o Marreco abandonou a casa, anda a passear pelo mundo e nunca mais foi o mesmo, não tem descanso, constantemente vê Rosa Bugairido, quer dizer, o seu fantasma, a última vez que a viu estava vestida de noiva mas ninguém acreditou, disseram que era coisa da imaginação, remorsos, o que explicava tudo, mas o Marreco não desistiu e provou que tinha razão, aí estava, em papel, o fantasma de Bugairido, vestida de noiva como no dia do seu casamento, a coisa bate certo, pois é verdade que alguns mortos, e sendo mulheres ainda mais, são muito sentimentais. (segundo o Livro de Estilo de Camilo José Cela)


(1. Pormenores do suicídio de «Rosa Bugairido» (neste «blog»); 2. «Camilo José Cela» - Wikipedia)

No comments: